Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Um último vestígio da velha alegria ...

 

... penhorar o que resta de uma miserável existência para que se mude um destino já traçado. Por estranhos caminhos, percorrer de novo aquela floresta onde me perdi. E só comecei a desvanecer-me quando encontrei a saída. Não antes.

Lembras-te? Antes brincámos nessa floresta. Debaixo das sombras daquelas árvores imensas. Já posso recordar-me do som do meu riso. Que hoje se tornou silencioso. E não foram plantadas novas sementes, nem sequer pensei nisso. Apenas foram arrancadas do solo, por mãos agrestes à alegria da gargalhada.

 

... garra e canino. Tão cravados na pele! Tão fortes na sua prisão. Tão solenes na sua devota tortura.

Não vale a pena tentar um regresso a nada. Porque cresci e padeço de descrença. E não consigo fingir alegria. Prefiro não olhar. Não pretendo essa mentira. Nem mentir a mim próprio.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:







topo | Blogs

Layout - Gaffe