Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por vezes, tudo me deixa consumido. Quando chego a esse estado, em que apenas me importa ver pouco mais do que o fundo de uma chávena de café, vejo como se torna fácil abandonar tudo.

Por vezes, também surgem dias melhores onde me consome o egoísmo e a presunção de uma possibilidade que venham para ficar, aquecer-me a esperança. Não preciso que as outras pessoas se importem comigo. Eu faço o mesmo: não perturbo com as minhas palavras ou desolação. Sei que os outros farão o mesmo. Isto ajuda-me a ficar vivo e todos ficam satisfeitos, porque mesmo sabendo que estou a nadar em merda acham que aguento e sigo a  direito. A maioria das criaturas, supostamente racionais, nunca tenta aliviar-me de nada. Mas, e aqui habita realmente a doce ironia, depressa correm para mim à vista do mínimo fulgor,  por mais fugaz que seja, de alegria feliz.

Autoria e outros dados (tags, etc)







topo | Blogs

Layout - Gaffe