Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Se eu fosse como tu e com uma lamina golpeasse um braço, por cada desilusão que se atravessa na minha vida. Se por cada lágrima ou por cada gemido eu quisesse morrer, já não poderia respirar. Do meu sangue já dei muito. A esta existência mundana. A esta praga rogada pela minha consciência. Por viver numa terra de pedras. Árida e destoante. De mim.

Se dessa lâmina fizesse consolo. Sentimentos à flor da pele, os meus braços já não se cobririam de pele. Apenas sulcos. Apenas vermelho torpe.

Perdida a inocência, o que faria? Voltaria a causar a minha dor? Por uma lâmina suja, verteria o líquido da vida?

Se eu fosse como tu e num rasgo me encontrasse,  nunca mais voltaria a viver. Assim. Assolado por sentimentos. Vergado pela descrença.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:







topo | Blogs

Layout - Gaffe