Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dias que são noites

tão solenes se tornam, por ti

pelo teu afago sincero, verdadeiro

onde o meu descanso se encontra

 

Pela noite, em névoa

sigo, procurando, sem dormir

e podes escutar o que te canto

mesmo que seja por breves suspiros

 

Olhas a minha presença

por entre folhas que voam

sorris, ao ver-me despido

pois já se foi a raiva

 

Tapas o mundo, aos meus olhos

com dedos severos, mas carinhosos

e repetes a minha sina,

por muitas vezes, a repetes

 

Longe da morte pressentida

filha de estranhas vontades

onde mora a fraca semente

mas onde insistes em plantar esperança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:







topo | Blogs

Layout - Gaffe