Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 

 

Ainda hoje eu anseio por uma explicação racional, mínima que seja, para a ideia de alma gémea. Talvez porque seja espessa a minha dúvida, sempre que vejo retratado este conceito, sem dúvida fruto de uma mente degenerada pela incapacidade de aceitar a sua solidão, só consigo questionar uma e outra vez e nunca me é apresentada uma resposta coerente. Pois então, parece que alma gémea é ideia assente em fé. Religiosa e relíquia de literatura de baixo calibre, assim a rasar o saloio imprestável.

 

O que me intriga nesta coisa de almas gémeas tantas e tantas vezes ditas e escritas em outras línguas que não a de Camões, nem que seja só para parecer sofisticado neste burgo, é de imediato a ideia que transmite. Há algo obsceno na ideia de alma gémea que leva para o domínio de rebanho e grupo que pensa e age da mesma maneira. Coisa que me deixa aterrado! É algo que me suscita desprezo e nojo.

 

Mas Fleuma, então o amor e a partilha de sentimentos entre semelhantes? E o calor de um abraço ou de um roçar de corpo? 

 

Reservo o meu direito a reservas, respondo eu. E indago:

 

Uma alma gémea para que não seja uma qualquer abominação deslavada necessita de igualdade em relação a quem decidiu que queria algo gémeo. Assim! Sem mais nem menos sentindo-se só e desprotegida imagina outro semelhante. Portanto terá de possuir os mesmos atributos em qualidades boas e defeitos. Significa que a pobre alma gémea herdará a sagacidade, a coragem e destemor bem como a grandeza interior de quem a elegeu como sua siamesa. Neste caso até nem será pobre - antes rica em proventos e luz que ilumina o túnel.

 

Mas, sacana de mas estava aqui escondido algures em espera para  pontapear a ideia de esperança, e se quem assim tiver decidido, assim porque sim!, imaginar uma alma gémea nas suas viagens de faz-de-conta pouco mais seja a nível intelectual, moral e até em utilidade, do que uma mera mancha existencial. Assim descrita por confirmação indelével. Contra factos não existirem argumentos.

 

Aqui vacilo e estremeço! 

 

Significa que a pobre alma gémea será um reflexo de tudo o que é cretino e disfuncional em quem a elegeu como tal? Que apenas significa ser um ombro de ajuda para as chagas de uma vida despendida naquela maresia tão própria dos que acham que evoluir é filosofar feliz e ignorante.

 

Mas e se a mesma alma afinal não se sentir gémea e apenas piedosa perante tamanha e incompetente calhorda? E se, não querendo ser contaminado por tanta burrice e nevoeiro mental, a dita alma que não quer ser gémea apenas sinta pena e solidariedade com tanto sofrimento moral? Porque as dores e golpes de quem elegeu uma alma gémea, assim porque sim!, são tão vastas como a sua própria moralidade de bazar em dias de feira. 

 

Não sei. Hesito.

 

Valerá o risco aprisionar uma alma imaginando-a gémea quando se habita um universo de pedante imbecilidade?

 

Isto não serve para responder à questão que me atormenta e ao necessário de uma explicação. Almas gémeas são como desacertos imaginários onde forçamos uma qualquer criatura a reduzir-se à condição de reflexo incapaz e se a nossa natureza for a de um pedaço de ossos ocos, ainda se torna pior.

 

Imagine-se Aleister Crowley, H.P. Lovecraft ou um Sam Harris a imaginar almas gémeas. O mundo deixaria de ter disparidades e passaria a ser um vale de imbecis incapazes e com algumas réstias de imaginação. Apenas isso. Já bem basta o seu grande número a arrastar o cheiro por todo o lado.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Imagem de perfil

De Bruno a 10.01.2017 às 03:06

Antes de qualquer coisa mais, esse "não sei. Hesito." recordou-me graças de velhos tempos, pelo que não pude deixar de sorrir.

Quanto à existência de almas gémeas ou não... Não sei que te diga. Nunca formei nenhuma ideia sobre esse assunto. Não digo que seja impossível, contudo... É uma ideia aterradora, de facto... Acho que, caso seja algo real, se sabe. De algum modo, sabe-se, como que por instinto. Do mesmo modo que, ao pressentir perigo, nos afastamos. Mas não deixa de ser uma ideia aterradora.
Imagem de perfil

De Fleuma a 10.01.2017 às 16:11

Não Bruno, não existe tal conceito e sabes porquê? Mais idiotas ou menos, mais incapazes ou não, somos únicos e é impossível duas pessoas iguais. Ou sequer aproximadas.

Saúde,
Imagem de perfil

De Bruno a 11.01.2017 às 03:59

Hmm. Entendo. E agrada-me muito mais essa ideia que tens, do que propriamente a de almas gémeas. Mantenho que é algo que me aterroriza, essa ideia.

Comentar post







topo | Blogs

Layout - Gaffe