Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Creio que a actual situação americana é um reflexo perfeito da mais absoluta e básica tendência de seguidismo que uma vasta maioria de criaturas representa. Retirando exceções, que de um lado e outro existem e ainda bem, todos os outros se juntam em rebanho ou não se  importam de ser arrebanhados. No fundo, bem no centro da questão, a fria constatação que a democracia não existe. Acho a dita democracia uma utopia perigosa, que distorce a realidade e principalmente, um charco de podridão mesclada em palavras e duvidosas intenções.

 

Então, não se tornou governante quem a vasta maioria queria? Veja-se, vasta maioria inclui meios de comunicação e restantes apoiantes. Porque o outro foi eleito sem margem de erro e, pasme-se! , com maioria no senado e para a presidência. De súbito, deus nos acuda, não existe democracia! Ou então existe, mas transfigurou-se e os dados estavam errados. Não é justo! Os democratas não aceitam a democracia mais básica e simples: sobe ao poder quem tem mais votos. Votos da maioria dos americanos! E doce ironia, quando se pensava que bastava apenas o golpe final, que o outro já estava de joelhos e a festa já reclamava as ruas, foi dada a resposta com um soberbo pontapé nas partes baixas. E assim, mandou quem votou. Não quem achou que estava ganho. Lindo!

 

O que ganhou é um boneco. Sinceramente. Machão a três quartos, retrógrado em potência e populista até à medula. Uma criatura que apresenta uma imagem distorcida dos homens que se prezam e que pouca gente se identifica, de facto. É apenas uma fachada, um delírio grotesco de homem. E ainda não foi entendido pelas massas seguidistas de esquerdismo vesgo que este boneco não fará metade do que afirmou em campanha. Quando sentar o rabo gordo na cadeira do poder fará exatamente o que fizeram os seus antecessores. Não comanda. Vai ser comandado.

 

A que perdeu é uma personagem sinistra. Posso afirmar com plena segurança que conheço a realidade americana muito para além dos meios de comunicação ou filmes. Ainda há 2 semanas estive em trabalho nos estados unidos. Viajo para lá com uma frequência maquinal. E basta andar pelas ruas de Chicago para pressentir o que lavra de facto na ideia daquela gente.

 

Esta senhora, obra e graça de um sistema subversivo, é tão corrupta como o que ganhou. Para os choramingas que se manifestam, aproveitando para pilhar e queimar, creio que melhor seria lerem os Emails da WikiLeaks para obterem uma pequena luz do quanto perigosa é. Ou então, e o caso Bernie Sanders? Alguém se lembra? Eu sim!

 

Se não gosto de um boneco absurdo e surreal menos gosto da outra. E sim! É pessoal.

 

Clama-se que se frustrou a possibilidade de ser uma mulher a governar. Cambada de machistas! Misoginia! Deus no céu, como dá vontade de rir. Estamos a falar do apoio de uma certa ala feminista de 3ª geração. Um feminismo cretino e reacionário que odeia os homens em geral. Um bando de incapazes que denota um pesado complexo de inferioridade, principalmente em relação aos homens e que odeia que outras mulheres, estas firmes e independentes, se afaste da sua ideologia sectária. Este feminismo nazi e javardo tem membros que defendem a seleção programada do homens. Colocar estes em campos de procriação e retira-los da sociedade. Obviamente, antes de lhes administrar um tiro nos miolos, deixaria que fossem lentamente devoradas por ratos de esgoto. Seria interessante ver como se debateriam.

 

É este feminismo que fomenta a teoria  de que todos os homens são violadores em potência. Que é incapaz de deixar de odiar outras mulheres e por isso se materializa na sinistra personagem que perdeu as eleições. É esta teoria feminista que afirma que todos, todos os homens brancos são desde logo privilegiados, racistas e homofóbicos. Por eu ser homem e  branco já sou racista e homofóbico. Basta vaguear pelas ruas da América para observar um bizarro fenómeno. As mulheres sofrem do complexo de perseguição. Qualquer homem branco que olhe nos olhos uma mulher, esse idiota está a assediar a dama! Exatamente isto.

 

Nem sequer quero entrar pela crescente aceitação do racismo contra os de pele branca. Pequeno exemplo, Black lives matter. De súbito, é preciso ter cuidado pela cor branca.

 

Para mim são  apenas algumas razões para me rir dos rebanhos que apenas aproveitam as pingas regurgitadas pela imprensa e encaram tal como verdade absoluta. Razões de sobra para troçar da dita democracia. Absurda. Como se pudesse haver qualquer outra razão para que fosse um boneco o eleito.

 

E por último, o circo de vedetas a apoiar a candidata revelou o que eu e outros já sabiam. Zero! Nada! Fora das suas redomas de vidro servem para nada. E usar tamanhas vedetas para convocar armas e votos é sumamente cretino pois a grande maioria dos seus admiradores nem sequer tem idade para votar. Ou achava que a vitória estava no saco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:







topo | Blogs

Layout - Gaffe