Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Não podia ter sido melhor o dia que tanta gente se preocupa em festejar comendo e oferecendo prendas. Que assim se torna mais simples e tão fácil esquecer o erro desta noite. Para mim uma oferta inesquecível. Que estes são tempos de riqueza dada em perfumes e roupas. Ou em faustosas refeições, longe do frio da noite. Mesmo que entre rostos conhecidos e nem por isso bem-vindos.

 

O dia anterior ao falso nascimento do profeta começou realmente ao almoço. Encontrei-a à minha  espera. Sentada na cama do hospital e com as pernas penduradas que se agitavam com a suavidade que apenas uma criança sabe. Quando está assim sei que está melhor. Conseguiu mais uma pequena que a mim me parece gigantesca vitória. Na semana anterior registou um aumento de peso real de 2 quilos! Há meses que tal não acontecia. Havia também um rubor seráfico na sua face e os olhos não estavam tingidos daquele vermelho odioso dos dias de radiação. 

Saltou da cama e correu para mim enquanto eu simulo encolher-me de medo e aquela gargalhada, entre um abraço apertado justifica tudo! Mesmo a habilidade que aquele pequeno duende tem em deixar-me os olhos cansados húmidos. O ritual, diante da falsa severidade materna  ou sucessivas risadas das outras crianças da ala, é sempre o mesmo. Com ela no meu colo dou duas voltas e volto ao centro. Patético e embaraçoso. Mas é o nosso ritual de contacto.

 

Mas foi melhor do que eu esperava. E eu espero sempre muito. Tanto que me deixa esmagado. Caminhou comigo de mão dada. Sempre a queixar-se da força com que  eu apertava mas nunca largando a minha mão. Passámos o corredor em voltas para desvio de outros pacientes. Normalmente ficamos ali. Mas naquela tarde saímos para a rua e caminhamos no jardim. Estava agasalhada mas ainda assim  usei o meu casaco comprido para a tapar. Mesmo que a arrastar pelo chão sujo de terra.

 

Meia-hora. Trinta minutos de passeio. Apanhou algumas ervas verdes e cheirou a terra que lhe escorria entre os dedos finos. Estalava os lábios quando eu lhe enterrava o gorro preto que lhe ofereci no ano passado até às orelhas. Trinta minutos de batidas cardíacas aceleradas. Sempre à espera do seu cansaço ou colapso. Não aconteceu.

 

Quando começou a ressentir-se das emoções e do esforço físico pediu para voltar ao quarto e deitar-se um pouco. Decidi que iríamos regressar com ela ao meu colo. Negou porque as pessoas grandes não viajam ao colo. Creio que o nosso rir foi sonoro porque ao lado uma casal que passava estranhou.

 

Foi sentada nos meus ombros até à porta do Hospital. Depois sentou-se no meu braço direito e fomos até à  cama lavada de fresco. Lanchou simulando medo diante a minha falsa severidade - que tem de comer para engordar. Permaneci até que adormecesse. Com o meu dia já vencido e exausto pela rara felicidade sentida.

 

Deixei a prenda em cima da mesinha ao lado da cama. E voltei lá durante a noite. Cerca da meia-noite. Para lhe dar um beijo e renovar a minha promessa de que voltaria no dia seguinte.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Bruno a 26.12.2016 às 21:14

Verás, meu querido, que esse teu duende amado terá a victória que merece e que ambos almejam!
Espero que 2017 seja mais suave.

Comentar post





Arquivo

  1. 2019
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2018
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2017
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2016
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2015
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2014
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2013
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ
  92. 2012
  93. JAN
  94. FEV
  95. MAR
  96. ABR
  97. MAI
  98. JUN
  99. JUL
  100. AGO
  101. SET
  102. OUT
  103. NOV
  104. DEZ
  105. 2011
  106. JAN
  107. FEV
  108. MAR
  109. ABR
  110. MAI
  111. JUN
  112. JUL
  113. AGO
  114. SET
  115. OUT
  116. NOV
  117. DEZ


topo | Blogs

Layout - Gaffe