Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 

 É eterna a gratidão que tenho por uma das poucas criaturas em que confio cegamente. Um gato negro de olhos verdes como gemas raras e focinho branco como neve. Foi com ele que preenchi as primeiras sementes de solidão quando, aos 18  anos, comecei a viver sozinho. Encontrei-o numa daquelas tardes de inverno chuvoso em plena calçada da graça. Cria frágil e em tremores de frio, de pelo encharcado. Junto a um caixote de lixo e pronto a ser assassinado por essa cabra a quem tantos gostam de chamar "mãe natureza". E se calhar, nem fui eu que o encontrei. Se calhar foi ele que me encontrou. Pela forma como deixou que o escondesse no bolso quente do meu casaco, talvez afinal estivesse à minha espera. 

 

Chamei-lhe morfeu porque pura e simplesmente adormeceu no bolso do meu casaco enquanto caminhava para casa. Tive sérias dificuldades para que acordasse em frente ao prato de leite que eu queria que bebesse para afastar a magreza e a fragilidade. Ficou morfeu e sempre me pareceu aceitar o nome com agrado.

 

Conhece-me como poucos. E creio piamente que será um companheiro para a vida. Pressente os momentos mais dolorosos. Junta-se a mim quando a solidão e a saudade por outras paragens quase me incapacita. Nas longas noites de insónia poisa sobre os livros de estudo dormindo um sono vigilante. Nos dias de longas horas a sono solto, se estou só, dorme ao meu lado. Se estou acompanhado, afasta-se tranquilo. Nas minhas ausências, quando não consigo que me acompanhe, sossega. Sabe que não o abandono. E para onde for irá comigo. 

 

Morfeu reage de maneira diferente à música que oiço. Tenho, no entanto, um pressentimento que a faixa Street Spirit dos Radiohead o deixa melancólico e estranhamente apático. E fico sempre com a sensação de que a tristeza o envolve. É algo estranho e quase visceral. Quando a faixa deixa de tocar, assume uma postura diferente. E isto não é uma coincidência.

 

Morfeu tem um companheiro há já uns meses. Um outro gato, cego de um olho. Porque compreendi que não são apenas os seres humanos que se sentem sós. Porque morfeu não me deve nada. Sou eu que estou em dívida. E nada mudou. Apenas o facto ser mais numerosa agora a companhia.


2 comentários

Sem imagem de perfil

alma 12.09.2016

Preciso voltar aqui.
Faltam-me as palavras que quero escrever. Saio de alma cheia por tudo o que li e me tocou profundamente.
Já sabes que umas destas noites me venho aqui instalar de novo...
Abraço.
Sem imagem de perfil

Maria 07.01.2017

:)
Que mimo de história.
Ia lendo...e ia sorrindo.
:)
Obrigada por este momento.

Comentar post





Arquivo

  1. 2020
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2019
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2018
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2017
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2016
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2015
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2014
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ
  92. 2013
  93. JAN
  94. FEV
  95. MAR
  96. ABR
  97. MAI
  98. JUN
  99. JUL
  100. AGO
  101. SET
  102. OUT
  103. NOV
  104. DEZ
  105. 2012
  106. JAN
  107. FEV
  108. MAR
  109. ABR
  110. MAI
  111. JUN
  112. JUL
  113. AGO
  114. SET
  115. OUT
  116. NOV
  117. DEZ
  118. 2011
  119. JAN
  120. FEV
  121. MAR
  122. ABR
  123. MAI
  124. JUN
  125. JUL
  126. AGO
  127. SET
  128. OUT
  129. NOV
  130. DEZ


topo | Blogs

Layout - Gaffe