Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Existem aqueles em quem confiamos. As raridades. Os preciosos. A quem revelamos paixão em  horas de submissa fraqueza. Que permanecem em nós como pequenas chamas que nunca parecem extinguir-se. Esses ficam e por tais, qualquer sacrifício se torna santo. O inferno é simplesmente o que se pode esperar quando aqui não estão. Porque só as memórias não bastam. Só a imaginação não chega. Mas são nossos. E nós deles. Basta.

 

E existe outro tipo de criaturas por quem guardo rancor e um absurdo ódio. Um odiar que não é natural para uma imensa e chocada maioria. Um sentimento escuro que a propósito cultivo com afinco. De estimação. Rancoroso e persistente, que ao contrário do que se supõe não consome: alimenta.

 

São as criaturas que se julgam humanas e vitimas. Que vivem à sombra dos outros, consumindo o pó das botas de quem caminha. Criaturas medrosas. Escondidas e sintomaticamente tristes. Incapazes de se olharem ao espelho nos seus dias de miserável existência. Porque nada são, diga-se. Racionalmente? Nada irão deixar que seja uma recordação; mínima que seja. Fica a prole, envolta num catecismo de desejos que gostaria que fossem e não são. Síndroma de cão anão que ladra à distância de uma possível fuga em frente.

 

Permanece em anonimato. Mesmo inventando atributos que nunca tem. Nunca terá. Por isso incapaz de exprimir uma gota de orgulho altivo. Há muito cega perante um laivo que seja, de amor próprio. E portanto: Existe! Não vive. Existe dependente.

 

Creio ser este o pior pesadelo de criaturas assim. Quando param para pensar um pouco, observam como passam os dias e os anos sem que nada tenham realmente alcançado. Anos a fio sem nada a revelar. Apenas a respirar ar e a envelhecer à sombra dos dias. Ainda que se julguem únicas, estas criaturas sempre viveram no meio de rebanhos e jamais se atreveram a estar sós. E quando expulsas do seu meio aqui sim, expostas aos elementos e aos  solitários que outrora tanto amesquinharam e perseguiram, demonstram o que são. Tristes figuras refugiadas entre paredes, impossivelmente frustradas pelo que são e queriam ser. Sistematicamente convertidas em bobos de corte quando sonham ser feitas de guerra.

 

E o que fizeram com o passar do tempo? Nada. Apenas povoaram o planeta. E que legado deixam? O constatar do quanto incapazes foram. Pior? Nada fazerem para corrigir a sua situação. Uma condição de vitimização e impotência. Mentiras, difamação e intriga. São as suas armas de justificação para a inutilidade e vazio existencial. Para estes resta o meu mais sincero ódio e rancor. 

 


1 comentário

Imagem de perfil

Rii* 16.07.2016

obrigada pelo teu comentário..... eu percebo perfeitamente o que queres dizer, vivo numa escuridão solitária e é assim como me vejo como pessoa

Comentar post





Arquivo

  1. 2020
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2019
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ
  27. 2018
  28. JAN
  29. FEV
  30. MAR
  31. ABR
  32. MAI
  33. JUN
  34. JUL
  35. AGO
  36. SET
  37. OUT
  38. NOV
  39. DEZ
  40. 2017
  41. JAN
  42. FEV
  43. MAR
  44. ABR
  45. MAI
  46. JUN
  47. JUL
  48. AGO
  49. SET
  50. OUT
  51. NOV
  52. DEZ
  53. 2016
  54. JAN
  55. FEV
  56. MAR
  57. ABR
  58. MAI
  59. JUN
  60. JUL
  61. AGO
  62. SET
  63. OUT
  64. NOV
  65. DEZ
  66. 2015
  67. JAN
  68. FEV
  69. MAR
  70. ABR
  71. MAI
  72. JUN
  73. JUL
  74. AGO
  75. SET
  76. OUT
  77. NOV
  78. DEZ
  79. 2014
  80. JAN
  81. FEV
  82. MAR
  83. ABR
  84. MAI
  85. JUN
  86. JUL
  87. AGO
  88. SET
  89. OUT
  90. NOV
  91. DEZ
  92. 2013
  93. JAN
  94. FEV
  95. MAR
  96. ABR
  97. MAI
  98. JUN
  99. JUL
  100. AGO
  101. SET
  102. OUT
  103. NOV
  104. DEZ
  105. 2012
  106. JAN
  107. FEV
  108. MAR
  109. ABR
  110. MAI
  111. JUN
  112. JUL
  113. AGO
  114. SET
  115. OUT
  116. NOV
  117. DEZ
  118. 2011
  119. JAN
  120. FEV
  121. MAR
  122. ABR
  123. MAI
  124. JUN
  125. JUL
  126. AGO
  127. SET
  128. OUT
  129. NOV
  130. DEZ


topo | Blogs

Layout - Gaffe