Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



E é assim que nós vivemos a vida. Não importa a profundidade da nossa perda. Nem sequer importa a fatalidade e a importância do que tenhamos perdido. Tudo é roubado das nossas mãos, tudo nos modifica de forma violenta e permanente. Mesmo que tudo o que reste se resuma a uma camada de fina pele exterior, frágil e transparente, ainda desta maneira continuamos a viver. Em silêncio. O que resta do nosso tempo não deixa de ter um amargo travo a vazio.

Tags:


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







topo | Blogs

Layout - Gaffe